Why Legalize Polygam? (Poligamia/ Polygamie/ تعدد الزوجات)



'Ben - Aboul - Kiba, em seu Espelho dos Fiéis, relata que um dos vizires do grande Solimão fez este discurso a um agente do grande Carlos V:
   "Cão cristão, por quem tenho uma estima toda particular, podes reprovar-me por ter quatro mulheres segundo vossas santas leis, enquanto esvazias tóneis por ano sem que eu beba sequer um copo de vinho? Todos os anos posso dar quatro filhos para o serviço de meu augusto e tu podes fornecer apenas um. E que é o filho de um bêbado? Seu cérebro será ofuscado pelos vapores do vinho que bebeu seu pai. Que queres que eu me torne quando duas de minhas mulheres estão menstruadas? Não é preciso que me sirva das duas outras assim como minha lei ordena? Que te tornas, que papel fazes nos últimos meses da gravidez de tua única mulher e durante suas menstruações e durante suas doenças? É preciso que permaneça numa ociosidade vergonhosa, ou que procures uma outra mulher. E assim fica jogado necessariamente entre dois pecados que te farão, depois de morto, cair duro no quinto dos infernos." 
   "Supondo que em nossas guerras contra os cães cristãos tenhamos perdido cem mil soldados, teremos cerca de cem mil mulheres a prover. Não cabe aos ricos tomar conta delas? Maldito todo mulçumano bastante morno para não abrigar em casa quatro belas mulheres como suas legítimas esposas e para não tratá-las segundo seus méritos."
    "Em teu país, como fazem a trombeta do dia (que chamas de galo), o honesto carneiro, príncipe dos rebanhos, o touro, soberano das vacas? Cada um deles não possuí seu serralho? Assenta-te muito bem em reprovar minhas quatro mulheres, quando o grande profeta teve dezoito, Davi o judeu, a mesma quantidade, e Salomão, o judeu, setecentas bem contadas e mais trezentas concubinas! Vede quão modesto sou. Cessa de reprovar a gulodice de um sábio que faz refeições tão medíocres. Permito-te beber, permita-me amar. Mudas de vinho, tolera que eu mude de mulheres. Que cada um deixe viver os outros à moda de seu país. Teu chapéu não foi feito para ditar lei ao meu turbante. Teu colarinho e teu casaquinho não devem ordenar ao meu doliman. Acaba de tomar teu café e vai acariciar tua alemã, já que está reduzido a ela somente."

RESPOSTA DO ALEMÃO
   "Cão mulçumano, por quem conservo uma profunda veneração, antes de acabar meu café, quero confundir teus ditos. Quem possui quatro mulheres, possui quatro harpias, sempre prontas a se caluniarem, a se prejudicarem, a se baterem. O lar torna-se antro da discórdia e nenhuma pode amar-te. Cada uma só dispõe de um quarto da tua pessoa e não te poderia te dar mais do que um quarto do seu coração. Nenhuma pode torna-te a vida agradável: são prisioneiras que, nunca tendo visto nada, nada podem dizer-te. Só conhecem a ti,  por conseguinte tu as entedias. És seu senhor absoluto, portanto te odeiam. És obrigado a guardá-las por um eunuco que as chicoteia quando fazem muito barulho. Ousas comparar-te a um galo! Porém, nunca um galo mandou chicotear suas galinhas por um capão. Toma teus exemplos dos animais, pareça-te com eles quanto quiseres. Quanto a mim, quero amar como homem, quero dar todo o meu coração e que me dêem o seu. Esta noite contarei nossa conversa a minha mulher e espero que fique contente. Quanto ao vinho que me reprovas, fica sabendo que, se é um mal beber na Arábia, é um hábito muito louvável na Alemanha. Adeus" '
(Voltaire, Dicionário Filosófico, Poligamia)

Comentários